sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Sobre músicas da minha infância

Esses dias tava arrumando a parte de cima do meu guarda-roupa e encontrei algumas fitas cassetes da dupla Sandy & Jr dentro de uma caixa empoeirada. Olhei para aquela caixa e não sabia o que fazer, só sentir... #RobertaRainha



Quando eu fui morar em Penápolis minhas primas já eram fãs, aí eu meio que entrei na onda. Mas olha, minha diversão era esperar pelo sábado, quando me encontrava com as minhas primas na casa da minha vó, virava a Sandy e passava a tarde inteira dançando.

Obrigada anos 90!
~ Eu não lembro ~, mas minha mãe conta que teve uma época que a gente meio que incorporou a Sandy: os mesmos gestos, roupas, risada e cabelo. Enfim, nós só não tinhamos a mesma voz que ela (o que ainda hoje é uma grande tristeza em minha vida).


E eu também era do fã-clube. Antigamente, para ser de um fã-clube, não bastava seguir um perfil do twitter. Você se cadastrava e pagava uma quantia por mês, daí recebia coisinhas em troca. Ainda devo ter uma foto autografada em algum lugar. 

Ah, e uma coisa incrível: minha paixonite do ensino fundamental (que não deu certo, já que ele gostava da Loren. Pffff, Loren) chamava Lucas Lima. Coincidência? Eu acho que não... Aliás, por onde andará Lucas? Beijo, Lucas.

Bom, naquela época não tinha youtube, mas tinha fita VHS, que era onde gravávamos todas as apresentações deles na TV. Teve uma vez que minha prima mais velha conseguiu ir no show, aí ela filmou tudo e a gente ficou um mês assistindo aquilo para pegar as coreografias. Não riam, era difícil pra dedéu dançar Dig Dig Joy hahahaha

Boneca da Sandy: linda até os cabelos começarem a embaraçar...

Nunca cheguei a ir em um show, mas uns anos atrás fui em um evento do La Fura Dels Baus, um grupo performático que tinha convidado o Júnior para fazer a parte sonora da apresentação, e encontrei a Sandy. Foi assim: lá estava eu na pista correndo de um boneco gigante quando olho pro lado e vejo a Sandy, linda, no camarote.

O que eu fiz:
( ) chorei
( ) pedi autógrafo
( ) cantei "Inesquecível é você, digo então mais uma vez, não, não me deixe mais..."
( ) ergui um cartaz escrito: #voltaSandy&Jr
(x) nada

Sim, a Tami de vinte anos só ficou olhando pra ela com cara de idiota, mas a Tami de 11 anos que ainda  deve habitar em algum lugar ficou nas nuvens. 

Tudo isso pra falar que eu fui ouvir a fita, mas no lugar da Sandy cantando Sonho Azul, tinha a minha irmã cantando Vanessa Rangel. Triste.







2 comentários:

  1. Socorrooo... eu era mt fã de Sandy e Jr! Teve uma época que eles fizeram parceria com a Pernambucanas e quem comprasse coisas na loja ganhava ingresso pra um show que eles iam fazer em um estádio. Meu pai mt bonzinho levou eu e minha irmã. Naquele dia choveu tanto que o lugar meio q esvaziou e liberaram a pista pra todo mundo (a gente tava em uma arquibancada tão longe q eu tava achando que era pra assistir algum outro palco alternativo). Meu pai topou ir para a pista comigo e minha irmã, mas só um pouquinho por causa da chuva. Foi mágico! hahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que incrível!
      Queria muito ter ido em um show deles, mas em Penápolis só tinha shows de duplas sertanejas hahaha

      Excluir