terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Sobre os 5 Filmes para o Oscar da minha vida

Qualquer pessoa que tenha conversado pelo menos uns cinco minutinhos comigo — pessoalmente ou virtualmente, não importa — sabe o quanto eu sou louca por filmes. Não rejeito nada, de Gore Verbinski à Abbas Kiarostami, assisto tudo.

Foi muito, mas muito difícil escolher só cinco filmes para esse post. Sério, minha vontade era colocar o catálogo de uma locadora aqui, mas usei todo a minha força de vontade para escolher os cinco para os quais eu daria o Oscar. Só não consegui colocar por ordem de preferência, afinal... :)

And the Oscars goes to...

Edward Mãos de Tesoura
O filme que mais marcou a minha infância.

Tim Burton sendo Tim Burton num nível altamente burtanesco. Precisa de mais, mores?

A fábula do homem com tesouras no lugar das mãos é de uma esquisitice e doçura tão grande, que só mesmo Tim Burton pra fazer isso dar certo. A paisagem de casas iguais contrastando com o suntuoso castelo, a família comum em contraponto ao solitário ‘monstro’, acho toda a construção do filme fantástica.

Ah, e claro, tem o Johnny Depp, que já li em uma entrevista que se inspirou no cachorro dele pra fazer o personagem. Quanto amor esse princezo merece?

ownt!!!!
Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças
~criando coragem para tatuar uma frase desse filme~

4 pessoas para descrever esse filme:
  • Kate Winslet: rainha
  • Jim Carrey: perfeição como ator dramático
  • Michel Gondry: super inspirado. Ângulos diferentes, ilusões de óptica, efeitos  manuais, de tudo ele fez.
  • Charlie Kaufman: MEU AMOR EM FORMA DE ROTEIRISTA
<3 td="">
Annie Hall
Foi assim, eu era uma jovenzinha quando assisti meu primeiro filme do Woody Allen. Odiei! Mas aí, como não sou de largar o osso fácil, resolvi ver um outro filme: Annie Hall. Fiquei encantada!

Você amou 500 dias com ela? Então vai amar Annie Hall também.

E esse filme vai para a lista já que, por conta dele, Woody Allen fez parte de toda a minha vida acadêmica. #BonsTempos

Lagosta!

A Dona da História
Amo, amo, amo esse filme!


Como eu já contei aqui, gostava de fugir da aula de Educação Física para ficar na biblioteca. Um dia encontrei uma coleção da Imprensa Oficial com os roteiros de vários filmes, entre eles, A Dona da História. Resultado: decorei as falas do filme antes mesmo de assisti-lo hahahaha; E quando eu fui ver ao filme, a emoção que deu repetir junto do Rodrigo Santoro: "Que tempo é esse capaz de mandar no meu amor? Não existe esse. Tá pra nascer esse espaço de tempo que vai me impedir de...".

Obrigada Educação Física por ser a pior matéria do mundo!

Tempos Modernos
Chaplin é um clássico, né? E eu percebi que é um clássico para todas as idades.

<3 td="">
Vou contar essa história bonitinha para vocês: quando minha sobrinha tinha uns oito anos, aluguei Tempos Modernos. Quando eu fui assistir, ela sentou do meu lado e viu o filme todo. E ainda pediu para ver de novo no outro dia. E ainda desistiu de assistir Never Say Never para ficar em casa comigo vendo Luzes da Cidade. Muito amor, né?

*****Bônus*****

And the Razzie Awards goes to...

O Sexto Sentido
Eu sei que o filme não é ruim, mas ele me causou um puta trauma de infância.

Seguinte: tenho uma tia que é vidente, vê espíritos e se veste só de azul ¯\_(ツ)_/¯. Aí um dia, eu e minha prima, muito espertas, resolvemos assistir esse filme com ela.

=> Insira choros e noites sem dormir aqui <=

Minha tia também. E ela disse que eu também poderia ver...


Esse post faz parte das sugestões de fevereiro do Rotaroots no Facebook! Venha resgatar a boa e velha época dos blogs com a gente por lá!



















2 comentários:

  1. HAHAHAHAHA Assistir filme do tipo O Sexto Sentido nunca é uma boa ideia! Minha história com o filme é a seguinte: uma menina que morava no meu prédio e não ia mt com a minha cara um dia me falou: Vc já assistiu o sexto sentido? É que a menina que aparece na cabaninha de lençol é a sua cara. Fui assistir e chorei a vida toda. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus, que maldade! hahaha
      Esse filme me traumatizou muito. Lembro de assistir com a almofada na cara! hahaha

      Excluir