segunda-feira, 6 de julho de 2015

Sobre as vezes que a vida me fez rockeira

~ Vou pular toda a parte onde conto que foi impossível escrever mês passado no blog por motivo de muito ocupada ~

Julho é mês do Rock, né mesmo? Aí o Rotaroots colocou como tema falar sobre as vezes que vida te fez roqueira, e olha meus amigos e amigas, foram várias. Vamos separar 5 aqui:

1 - Pai
Assim, começou com um pai que não curtia muito que eu dançasse É o Tchan, mas achava bem de boas eu ouvir e cantar Mamonas Assassinas. Aliás, demorou alguns anos pra eu entender o  que eles realmente queriam dizer quando falavam que "comer tatu é bom, que pena que dá dor nas costas" (achava que tinha alguma coisa na carne do tatu e tal #inocencia #truestory)


2 - Tô tão cansada de estar aqui
Confesso que nos meus 13 anos tava numa fase meio pop, com muito Backstreet Boys e Britney Spears tocando no Discman. Mas aí apareceu uma mocinha com olho todo trabalhado no lápis preto — ah, foi tão lindo quando descobri Amy Lee e Evanescence. Conexão imediata e tal. Fora que meu cabelo, na época, era muito igual o dela, aí botava um vestidinho desses compridinhos e andava pelas ruas me sentindo no clipe de My Immortal. Muito amor.

Mas sério, Amy tem uma voz linda, coisa de outro mundo. E por causa dela conheci a Tarja, que também é maravilhosa, e depois de um tempo umas outras bandas tipo Angra e Viper e etc... Valeu, Amy Leenda!


3 - Carry on my wayward son
Supernatural não só me lançou no mundo do ~ vou sair hoje não, preciso botar a série em dia ~, como também me apresentou um monte de bandas boas. Afinal, o lance aqui é curtir um bom e velho rock'n'roll enquanto se dirige pelos E.U.A em um Impala 67 fazendo coisas comuns, tipo salvar pessoas e caçar coisas, esses negócios da família. #hunters



4 - Grace
Daí que depois dos 15 muita coisa muda, né? A gente larga da fase gótica e misteriosa e passa pra um lance mais existencial e tal. E foi nesse esquema que conheci Jeff Buckley, que ainda faz parte das músicas da minha playlist. Conto um pouquinho sobre ele bem aqui!

Até hoje acho sua versão de Lilac Wine, música da Nina Simone, uma das coisas mais lindas do universo. Sério mesmo, ouça essa voz e tente não chorar:



Eu fico bem assim:



5 - BRock
Posso confessar que o pop-rock brasileiro é uma das minhas grandes paixões? Posso dizer sobre como o Nando Reis é um dos amores que eu tenho na vida? Posso falar sobre a vez que fui no show dele, implorando internamente para ele não cantar "Pra você guardei o amor", mas aí ele cantou e eu morri de chorar? E posso mencionar que depois, quando eu consegui me recuperar, ele cantou All Star e também chorou, e aí obviamente eu chorei junto? E posso, por fim, contar que já garrei ódio de uma pessoa por motivo de ter falado mal do meu ruivo preferido? Essa sou eu :)

Nando e Cássia... aff S2

Como disse ali em cima, o tema desse post foi dado pelo Rotaroots, grupo de blogueiros que nunca desistirá da blogosfera, essa linda pra quem eu tenho guardado o amor que não soube dar...


10 comentários:

  1. Eu não sei como meus pais deixavam, mas eu cantava e dançava as músicas do É o tchan e dos Mamonas Assassinas! Acho que é muito mais fácil listar as vezes que fui uma criança ~ordinária~ do que as vezes que a vida me fez roqueira :( (não, não me orgulho disso)

    ResponderExcluir
  2. Mamonas meu pai até tocava no violão pra eu cantar junto, mas é o Tchan só qnd ia passar as férias na casa da minha vó, pq vó deixa tudo, né? :P

    Criança ~ordinária~: devo estar muito errada, mas eu ri disso! hahahahaa

    ResponderExcluir
  3. Acho que meu pai só deixou eu ser roqueira, porque tinha uma escola de música rs.. Ele é fã de AC/DC e super apoiava o estilo musical.

    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Clayci!

      Seu pai tinha uma escola de música? Que sonho!
      O meu sabe tocar três músicas no violão hahahaah Mas, mesmo assim, tem muito bom gosto :)

      Obrigada por visitar o blog!

      Excluir
  4. Amei a postagem, me identifiquei bastante!

    www.escolhasalternativas.com.br

    ResponderExcluir
  5. Cassia Eller me fez rokeira e duvidar da minha sexualidade! HSUHAIUSHUIASH Adoro!
    | A Bela, não a Fera |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha! Cassia é muito amor! E tenho que confessar que nos últimos tempos tenho estado bem apaixonadinha pelo filho dela, o Chicão <3

      Obrigada por visitar o blog!

      Bjo

      Excluir
  6. Então, se dependesse do gosto musical do meu pai só escutaria forró e sertanejo. ahahah ainda bem que pude ter outras influências.
    Amy é muito diva. Tive a oportunidade de assistir ao show do Evanescence e, meldels, a mulher canta demais.

    www.marianamaia.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha sempre bom buscar várias influências!

      Amy é linda demais, credo. E sim, a voz dela é de outro mundo. Choro igual criança quando ouço ela cantando Lithium <3

      Obrigada por visitar o blog!

      Bjo

      Excluir